PT/EN
1

Exposição "Infâncias: uma verdade"

2015

#Foto

-Voltar

A artista plástica radicada em Xanxerê, Magda Vicini, estará expondo seu recente trabalho, "Infâncias: uma verdade", a partir do dia 12 de junho a 5 de julho, na Espaço Oficina/Galeria Estúdio em Cacupé. O evento é uma ação do Programa de Extensão NUPEART Pro...Move do Centro de Artes da UDESC em Parceria com o Espaço Oficina-Galeria Estúdio, ambos sob coordenação da professora e artista plástica Rosana Bortolin.

Conceitualmente e metodologicamente, Magda propõe o que ela denomina de "lectio lectio lector", do latim, "leitura de uma leitora", no caso a leitora é a artista que revisita obras de Crucificações consagradas pela História da Arte, em artistas como Giotto, El Greco, Salvador Dalí e Fra Angélico, exaltando sua visão de crucificação de infâncias no Brasil e no mundo.

Tecnicamente, Magda utiliza fotografias que sofrem interferência de tinta vinílica e colagem, propondo outra possibilidade de conectar pintura e fotografia, sendo que em algumas obras, se torna quase imperceptível a mudança de uma linguagem para outra, tanto pela qualidade dos papéis utilizados, como pela habilidade da artista e composição proposta em cada obra.

A produção técnica de software das reproduções que servem de suporte para a criação de Magda foram realizadas pela designer Bianca Vicini Bonotto.

Diferentemente do fotógrafo italiano Erik Ravello, que em sua série "Intocables" (2014), fotografa crianças crucificadas, Magda Vicini trabalha filosoficamente o conceito de pós-humanidade-humana. Além das imagens artísticas de crucificação, ela amplia o olhar para os continentes geográficos e políticos do Brasil e do mundo, e, a partir de imagens de instituições políticas e sociais, amplia seu olhar para "o Outro" refletido nas Infâncias que apresenta.

"Proponho expor a visão de uma verdade que desassossega, sem ocultações ou simulações que somente a arte propõe desvelar, e assume", diz a artista. E ainda revela: " ... e o que deveria ser pleno, cuidado, protegido, feliz, na verdade se torna ambíguo, escuso, contraditório. Mas as imagens das infâncias são "bonitinhas", "chocantes", "instigantes", "belas", "desavergonhadas"? ... e o humano permanece aquém de si ... esquecendo, falhando, destemido por sua própria inteligência. "Precisamos" ser melhores?".

A abertura da exposição na Espaço Oficina/Galeria Estúdio, será dia 12 de junho às 19 horas e 30 minutos. As visitas à exposição poderão ser realizadas mediante agendamento pelo pelo fone (48) 99832395, com a Coordenadora da Galeria, Rosana Bortolin.